A CRISE DESAFIA-NOS

15 06 2009

O Ano Apostólico, como o Ano Catequético  e  o Ano Pastoral ou seja a actividade pastoral eclesial programada está a terminar. Quer dizer que é chegado o momento da avaliação e da projecção de novas propostas.

Por isso, vamos preparar o Conselho Diocesano da Acção Católica Rural. Nasce uma proposta apontada pelo nosso coordenador diocesano, o Tiago, propondo-nos que, perante a crise actual, devemos buscar caminhos de melhor harmonia entre os homens. É assim um desafio a lançarmos novas sementes à terra.

destaqueAliás é o que o Papa acaba de propor aos líderes das Nações, ONU, que se vão reunir em conferência, nos dias 24-26 deste mês, em Nova York, que promovam a luta contra pobreza com “uma justa distribuição do poder de decisão e dos recursos…”  e que transformem a arquitectura financeira internacional, “com espírito de sabedoria e de solidariedade humana, para que a actual crise se transforme numa oportunidade capaz de favorecer uma maior atenção pela dignidade de toda pessoa humana e de promover uma justa distribuição do poder de decisão dos recursos, prestando particular atenção ao número infelizmente sempre crescente de pobres”.

Os novos problemas obrigam-nos a arregaçar as mangas e procurar novas respostas.

A questão da educação e da nova evangelização passa pelos modernos meios de comunicação social, nomeadamente a Internet. Também estes meios nos põem novas exigências, porque têm uma ambivalência: tanto podem ser utilizados para o bem como para o mal.

Os pais têm, hoje, problemas com os filhos, se não lhes derem uma educação para o uso crítico, maduro e responsável dos meios de comunicação social, porque contribuem de maneira decisiva, com a família e a escola, para a formação da pessoa humana e da vida social e política.

Os pais devem acompanhar o uso das novas tecnologias, especialmente a internet, em vista a uma adequada formação cultural e moral, a fim de que sejam benéficas para a pessoa e a sociedade e propiciem a busca da verdade, do bem e da beleza.

Os pais e educadores devem ter cuidado e vigiar o mundo das comunicações sociais para defenderem os menores de conteúdos inadequados.

Também por isso a Igreja deve estar neles através dos católicos para mostrar a sua visão cristã da vida e através de meios próprios. Eu, por exemplo, tenho a experiência do nosso “sítio” na Internet que ainda na semana anterior teve 3.715 visitas http://faroldeluz.wordpress.com. Também a Acção Católica Rural do Oeste tem este “sítio” que é https://acrdooeste.wordpress.com/.  Também podes ir visitar http://www.mudareurgente.blogspot.com/, o “sítio” do Grupo dos Cabelos Brancos. Como vês, são formas novas de comunicar e fazer o bem.

Pe. Batalha


Ações

Informação

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s




%d bloggers like this: